A classe artística tem reivindicado o direito de trabalhar. “A gente só quer trabalhar” é o que tem ecoado nas rodas de conversa de artistas, músicos e técnicos. A portaria que libera músicos em bares, restaurantes ou eventos privados só permite a participação de dois profissionais por atração.

O deputado estadual Dr. Yglésio (PROS), que também é pré-candidato a prefeito de São Luís, cobrou da Casa Civil a liberação de pelo menos quatro músicos por apresentação. “Por que a música não pode voltar a um cenário mais próximo da realidade? A gente precisa colocar pelo menos a proposta de quatro músicos no palco para que volte a ter uma atividade musical plena”, sugeriu o Yglésio.

O apelo de Yglésio pela cultura tem consonância com o que tem reivindicado os músicos. “A gente quer voltar a trabalhar, a gente não quer favor de ninguém. Reuniões políticas aglomeram 400 pessoas, a gente não pode ter quatro músicos tocando no palco?”, questionou o músico Victor Hugo, do grupo Argumento.

Ainda na tribuna, Yglésio disse esperar que o “mais rapidamente possível reveja essa decisão e que regularize a atividade dos músicos porque eu, como médico, posso dizer, com muita tranquilidade, que há condições plenas para que a gente coloque quatro músicos no palco, não vai ter nenhum risco à saúde pública e nós vamos conseguir devolver a dignidade a um segmento que tem sido muito afetado na pandemia”, finalizou.