A Associação Maranhense de Oftalmologia (AMO) denunciou o desvio de função do optometrista e o exercício ilegal da medicina. A associação, presidida pelo médico Dr. Mário Menezes, fez representação no Conselho Regional de Medicina do Maranhão. A mesma denuncia chegou no gabinete do deputado estadual Dr. Yglésio.

Os oftalmologistas dizem, em documento, que o “os profissionais estão exercendo ilegalmente a medicina através de prescrição de óculos e lentes de contato” em endereço na Rua Grande, local com concentração de óticas. Os médicos oftalmologistas pedem a “devida apuração dos fatos dentro das competências legais” do CRM.

Na Tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual Dr. Yglésio utilizou-se do expediente desta segunda-feira (10) para reverberar a denuncia da AMO. Segundo o parlamentar o exercício ilegal da medicina pode causar prejuízos à saúde pública.

“Existe uma série de patologias que o optometrista, que é um profissional técnico e não tem nenhuma condição de determinar aquilo, portanto, gerando possibilidades de prejuízos gravíssimos à saúde da população”, disse o Dr. Yglésio no Plenário da Assembleia Legislativa.

“É muito claro: a prescrição de óculos e lentes de contato é atividade privativa do médico, principalmente do médico oftalmologista, que faz uma residência hoje de três anos no mínimo, além das subespecialidades que pode fazer.”, alertou o parlamentar.

O deputado Dr. Yglésio disse que vai acompanhar o caso pela Comissão de Saúde do parlamento maranhense e que vai combater a atuação indevida da medicina.