Na manhã desta sexta-feira (12), durante o programa ‘Bastidores’ do Bom Dia Mirante, o deputado estadual Yglésio Moyses (PROS) afirmou que entende a decisão judicial tomada na quinta (11) sobre restringir shows para conter a pandemia do COVID, mas que trabalhadores da área da música, que serão afetados, “têm o direito de ficar chateados”.

O deputado ressalta que é importante a decisão da justiça de tentar conter as festas, mas que o cumprimento das medidas sanitárias não devem ser ignoradas em outras ocasiões cotidianas que geram aglomeração. “É importante também a gente trabalhar em outras frentes, do transporte, do supermercados, das escolas, como deveríamos ter atuado também, na época da eleição”

Questionado o que poderia ser feito em relação à situação da população neste momento de pandemia, Yglésio defendeu a criação de um auxílio baseado em transferência de renda no curto prazo. “Temos 13 mil famílias que, durante a nossa campanha [à prefeitura, em 2020], a gente propôs que recebesse um auxílio contínuo de até 200 reais, principalmente nas famílias com crianças de zero a seis anos, que têm um custo menor”. Segundo o parlamentar, esta medida seria “perfeitamente sustentável” para as finanças do município.

A decisão judicial

Na quinta-feira (11), o juiz Douglas Martins, da Vara de Interesses Difusos de São Luís, decidiu por não acatar o pedido de lockdown no estado do Maranhão, proposto pela Defensoria Pública. Em vez disso, foram restringidas as festividades do Carnaval, durante o período de 12 a 18 de fevereiro.