Os deputados aprovaram na manhã desta terça-feira (22) o Projeto de Lei nº 338/2020, que cria a Campanha Estadual de Combate ao Câncer de Ovário. O projeto é de autoria do deputado estadual Yglésio Moyses (PROS) e, portanto, segue para a sanção governamental.

Leia mais:

A campanha, da qual trata o PL, tem o objetivo de desenvolver ações de conscientização e prevenção da doença, além de proporcionar às mulheres mais acesso aos serviços de diagnósticos, por meio da humanização, reduzindo, assim, a mortalidade por esse tipo de câncer.

câncer de ovário
Imagem/Woman’s Health – O câncer de ovário é diagnosticado tardiamente 70% das vezes. 45% não vivem mais de cinco anos após o idagnóstico

O projeto destaca que a campanha deverá acontecer preferencialmente em outubro, mês no qual já ocorrem ações voltadas para o câncer de mama. As ações serão mais eficazes dessa forma.

Dados do câncer de ovário

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de ovário é a segunda doença ginecológica mais comum. Fica atrás apenas do câncer do colo do útero. O instituto ainda destaca que entre as mortes de mulheres por câncer, o de ovário ocupa o quinto lugar.

Por fim, o diagnóstico acaba sendo difícil por conta da confusão feita com sintomas comuns do dia a dia. Cerca de 70% dos casos são descobertos tardiamente e apenas 43% dos deles sobrevive por mais de cinco anos após o diagnóstico da doença. Cenário em que campanhas de conscientização podem ser decisivos na vida e saúde de milhares de mulheres no Maranhão.

Câncer de pênis

A Lei nº 11.490, de 01 de junho de 2021, criada recentemente, tem ação semelhante à proposta pelo projeto em questão. A matéria trata de um dos principais problemas de saúde do homem.

No Maranhão, há um recorde em registro de casos de óbito por câncer de pênis no mundo, concentrando, atualmente, a maior quantidade proporcional de casos: 6,1 casos para cada cem mil habitantes. A doença mata mais homens do que o câncer de próstata, segundo dados do INCA.